Um passaporte brasileiro hoje é isento da obrigatoriedade de visto em 153 países, o que faz do documento de viagem o 21º mais aceito do mundo, segundo a edição de 2016 do Índice de Restrições de Vistos – um estudo preparado em conjunto pela consultoria Henley & Partners e a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata).

A Alemanha é o país cujo documento de viagem “abre mais portas” ao redor do mundo – 177 países, seguido da Suécia (176). Finlândia, França, Itália, Espanha e Reino Unido ficaram empatados no terceiro lugar.

passaporte-insentos-de-visto-no-mundo-press-abroad
Imagem: reprodução BBC

Cenário

Na América Latina, o Chile tem o que se pode chamar de “melhor passaporte” e ficou em 19º lugar na lista geral de mais de 100 nações. Em 2014, o Chile passou a ser o primeiro país da região a fazer parte de um programa de isenção de vistos de entrada nos Estados Unidos, o VWP.

O segundo país latino-americano mais bem colocado é o Brasil. Em 2008, os brasileiros podiam entrar sem visto em apenas 127 países; hoje podem em 153. Os brasileiros ainda precisam de visto para países como, por exemplo, China, Austrália, Índia, Japão, Indonésia, Cuba e Estados Unidos.

No outro extremo do ranking ficaram Iraque e Afeganistão, cujos passaportes só são aceitos sem visto em 30 e 25 países, respectivamente.

Mas o que explica o cenário em que alemães podem praticamente dar uma volta ao mundo sem visto, mas não iraquianos?

Os passaportes que abrem mais portas
Posição País Número de isenções de visto
1 Alemanha 177
2 Suécia 176
3 Finlândia, França, Itália, Espanha, Reino Unido 175
4 Bélgica, Dinamarca, Holanda e EUA 174
5 Áustria, Japão, Cingapura 173
19 Chile 155
21 BRASIL, Bulgária e Romênia 153
22 Andorra e Argentina 152
28 México 139
29 Taiwan e Uruguai 137
32 Venezuela 132
50 Colômbia 103
102 Iraque 30
103 Afeganistão 25
passaporte-mundo-não-precisa-de-visto-press-abroad
Imagem: reprodução BBC

A resposta inclui uma série de fatores, segundo Amanda Philp, diretora de publicações da Henley & Partners. A começar pela situação internacional de um país e suas relações com outras nações.

“Os principais critérios de expedição de visto levam em consideração segurança e economia”, disse Philp à BBC Mundo.

“Mas eles também se baseiam em relações históricas e diplomáticas, incluindo tratados, bem como o comércio entre as nações”.

Todo os países da América Latina viram a quantidade de países em que seus cidadãos podem entrar sem visto crescer, e isso está dentro de uma tendência global.

Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), o percentual da população mundial que precisa de um visto tradicional para viajar caiu de 77% em 2008 para 64% em 2013.

Com informação: BBC Brasil

Leia também: