Promover o intercâmbio educacional e científico entre profissionais do magistério da educação básica e superior, pesquisadores e estudantes dos países ibero-americanos é o objetivo do memorando de entendimento assinado por gestores da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e da Organização dos Estados Ibero-Americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI).

O documento é uma declaração de intenções com a proposta de incentivar o intercâmbio acadêmico, pedagógico e científico. O intercâmbio terá início nos próximos meses, com a seleção de 30 professores de espanhol de todo o Brasil para estágio na Universidade de León, Espanha, em janeiro e fevereiro de 2015.

Mais dinheiro

lll-encontro-de-reitores-universia-1406638059830Outra novidade é a criação de um programa de intercâmbio internacional exclusivo para estudantes da América Latina. O programa, ainda sem nome, deve contemplar 200 mil estudantes ibero-americanos até 2020. De acordo com a nova diretora da Secretaria Geral Ibero-Americana (SEGIB), Rebeca Grynspan, em 2015 e 2016, serão inicialmente 25 mil estudantes. O valor das bolas fica, em média, de 3 mil a 4 mil euros (de R$ 9 mil a R$ 12 mil) para estadias de até seis meses.

Com informações do Ministério da Educação e Universia

Encontrou um erro? Quer sugerir uma pauta? Ajude-nos a melhorar nosso conteúdo. Envie um e-mail para: [email protected]

Imagem reprodução.