Quatro anos de trabalho trazem grandes revelações. Uma delas é o Durrington Walls ‘Super henge”, que fica nos arredrores de Stonehenge, na Inglaterra, a cerca de três quilômetros ao norte do primeiro sítio pré-históricoe, e era composto por até 60 pedras enormes, que formavam uma circunferência de 1,5 km de diâmetro.

Além disso, uma série de monumentos arqueológicos desconhecidos foram descobertos durante a realização de um projeto de mapeamento digital sem precedentes que vai transformar o conhecimento dessa paisagem cheia de mistérios. A descoberta faz parte de um estudo da Universidade de Birmingham, em conjunto com o Instituto Ludwig Boltzmann de Prospecção Arqueológica e Arqueologia Virtual. Este é o maior levantamento geofísico já realizado, cobrindo uma área de 12 quilômetros quadrados e a profundidade de três metros.

O professor britânico que coordena o projeto, Vincent Gaffney, da Universidade de Birmingham, explica que a maior parte da área em torno de Stonehenge é uma incógnita. O projeto revelou que a área em torno de Stonehenge está repleta de arqueologia inédita.

As descobertas incluem 17 monumentos religiosos do Neolítico e da Idade do Bronze, cada um tamanho variando entre 10 a 30 metros de diâmetro. Também foram revelados poços para rituais, enormes fósseis pré-históricos, alguns dos quais parecem formar alinhamentos astronômicos, além de novas informações sobre centenas de poços e assentamentos romanos e campos em um nível de detalhe nunca antes visto.

Com informações: University of Birmingham 

Imagem: Reprodução