Foi no mês de outubro, no ano de 1871, que Chigado teve sua história transformada. Como lembra o Museu de História da cidade, uma série de incêndios, com causas não confirmadas, tomou conta de Chicago. As construções eram feitas, em sua maioria, de madeira – inclusive pontes. O resultado foi uma área de, aproximadamente, cinco quilômetros da região central completamente destruída, deixando 300 mortos e milhares de pessoas sem ter onde morar.

O acontecimento destruiu muita coisa, mas despertou a ousadia de engenheiros e arquitetos. Hoje, a terceira maior cidade dos Estados Unidos tem prédios que estão entre os mais altos do mundo e a beleza das edificações encanta de leigos até os mais entendidos do assunto.

Foto: Reprodução

A melhor forma de conhecer a histórias desses prédios e a cidade como um todo é fazendo um tour de barco. Existem opções de passeios que saem do Navy Pier para o lago Michigan por aproximadamente 17 dólares, numa volta de 40 minutos.

Quem quer conhecer Chicago em detalhes, melhor escolher o roteiro pelo rio Chicago, que atravessa a cidade. É o Chicago Architecture Foundation River Cruise. O ingresso custa 35 dólares com as taxas num passeio de 1h15. Um guia explica a história de cada uma das edificações nos arredores do rio – são prédios com elevador para carros, mas que há 14 anos teve o elevador desativado em função de problemas recorrentes e do peso dos automóveis. Tem ainda edificações inspiradas em flores. Os modelos mais espelhados do mundo. O prédio mais alto – a Willis Tower (antiga Sears Tower), com 412 metros de altura e 112 andares, e o famoso John Hancock Center.

Foto: Reprodução

Chicago do alto

Quem gosta de emoção, não pode perder a sacada suspensa de vidro feita na Willis Tower (Sears Tower), de onde Chicago pode ser vista sob seus próprios pés do 103º andar. O ingresso custa de 19 a 40 dólares, mais as taxas.

Outra opção é o The Signature Room – um bar e restaurante com vista panorâmica para toda a cidade direto do 95º andar do prédio John Hancock Center. Para ter acesso a essa vista privilegiada, não é preciso comprar ingresso, apenas consumir algo. Os preços não são abusivos, segue a linha dos demais restaurantes de Chicago.

Foto: Reprodução

Vale lembrar que, como são vendidas bebidas alcoólicas, você precisa ter um documento com foto e data de nascimento para comprovar que você tem mais de 18 anos. Outra curiosidade desse ponto turístico é o banheiro das meninas. Elas têm o privilégio de observar a cidade, o lago Michigan e todas as construções dos arredores de um espaço só das mulheres.

Leia também:

Conheça Varsóvia, na Polônia


COMPARTILHAR
Marciéli Palhano
Jornalista brasileira, nômade por natureza. Adora conhecer pessoas, histórias e lugares diferentes. Se tiver comida boa, uma bela paisagem e gargalhadas, não precisa de mais nada. Diagnosticada com doença celíaca e intolerâncias alimentares, criou o projeto Zero Gluten & Lactose: www.zeroglutenlactose.com