E aqui vamos nós de novo! Dessa vez pra um daqueles pequenos países, com grandes surpresas: Nicarágua!

Como minha rota vai do México ao Panamá, em algum momento eu teria que passar pela Nicarágua. E eu mal podia esperar! Ao contrário de muitos, embora eu viesse do norte, deixei a famosa León pra depois. Manágua foi minha primeira parada. Na capital, minha amiga Tati já me esperava. Nós nos conhecemos desde a escola na Alemanha, há mais de 10 anos. De cara ela já me levou pra conhecer alguns pontos de sua cidade natal. Foi praticamente uma aula de campo sobre a história do país e principalmente da Revolução Sandinista. Uma simpática surpresa tive ao chegar a sua casa. Pra jantar tinha gallo pinto, que nada mais é que o nosso bom baião de dois; com plátanos fritos, que são um espécie de banana. Rolou até um queijo parecido com o de coalho. Foi bom demais!

-mundo-afora-xerez-catedral-de-managua-press-abroad
Foto: Catedral de Managua | Arquivo: Eduardo Xerez

Como vocês talvez já saibam, eu sou fascinado por vulcões! E por sorte, o Masaya, poucos quilômetros de distância dali, há pouco tempo, de repente se encheu de lava. E o melhor: você chega à sua caldeira rapidinho de carro. E aí fomos nós! Eu e quatro jovens mulheres num carro ao som de K-Pop! Uma avalanche de estrogênio. Foi muita gargalhada e diversão todo o percurso! Pontualmente ao anoitecer chegamos ao topo. Que visão irada!!! Você literalmente olha, de perto, dentro daquele caldeirão vulcânico. A natureza é um espetáculo mesmo. Passados os 15 minutos que cada grupo pode ficar no local, fomos convidados a nos retirar. Claro que dependendo de nós, ficaríamos muito mais tempo.

Era hora de cair na estrada sozinho novamente. León. Cidade conhecida por sua arquitetura colonial e bastante turística. Bem, passei três dias lá porque precisava de um lugar tranquilo pra trabalhar. Mas a cidade não me convenceu. Suja, atmosfera meio sombria (talvez fosse meu humor) e quente. Muito quente! Já que ‘tava na vibe colonial, desci pra Granada. Essa sim, já tem um ar mais agradável. Mas como nenhum lugar é perfeito, na minha primeira volta pelo centro, quando cheguei à catedral, símbolo da cidade, fui abordado por um jovem homem, impertinente. Eu nem sei bem o que ele queria de mim, mas não me queria mais deixar em paz. Então decidi abrir mão da minha caminhada ao lago. Dei meia-volta e tomei outro rumo. Fora isso, tive uma estadia super tranquila em Granada. Inclusive presenciei de perto uma disputa de queda-de-braço ao ar livre.

mundo-afora-xerez-mercado-de-granada-press-abroad
Foto: Mercado de Granada | Arquivo: Eduardo Xerez

Não contrariando a sugestão de minha amiga Tati, fui à ilha Ometepe, que na verdade são dois vulcões no Lago Nicarágua, o maior da América Central. De onde se toma a balsa, já se vê a ilha. Que maravilha! Daí você pensa que é uma travessia rapidinha. É… levamos apenas cerca de uma hora. Mas se teu estômago é sensível, prepare-se! Ainda no caminho conheci Philipp e Clara, dois alemães com quem acabei passando meus dois dias em Ometepe. Alugamos scooters pra desbravar o território. Foi a melhor decisão! Tivemos o luxo da espontaneidade nas nossas roladas pela ilha. Sem ninguém pra dizer quando teríamos que ir ou vir. O banho nas águas cristalinas do Ojo del Água como também o visual da Punta Jesus Maria marcaram nossos dias.

mundo-afora-xerez-ometepe-press-abroad
Foto: Vulcões de Ometepe | Arquivo: Eduardo Xerez

De acordo com meu plano (que mudava quase todo dia), dali era hora de descer pra San José, capital da Costa Rica. No entanto, minha paixão pelo mar falou mais forte e fui pra San Juan del Sur, ainda na Nicarágua. O lugar é cheio de surfistas, muitos iniciantes nas várias escolas de surfe, e tem uma praia ótima e bem tranquila. Até porque a galera vai surfar em outra praia da região. Um fato interessante sobre essa cidadezinha litorânea é que os vendedores ambulantes de óculos, geralmente também oferecem maconha. É uma abordagem bem peculiar! “Você quer óculos? Não? E maconha?” Gente, que onda! Com essa a gente fecha essa matéria.        

mundo-afora-xerez-san-juan-del-sur-press-abroad
Foto: San Juan del Sur | Arquivo: Eduardo Xerez

Dica imperdível: Banho no fenomenal Lago de Apoyo, próximo a Granada! E comer quesillo!

Leia também:

Conheça Varsóvia, na Polônia


COMPARTILHAR
Eduardo Xerez
Eduardo é mestrando, graduado em História da Arte e Ciências da Cultura pela Universidade de Leipzig, na Alemanha, onde trabalha como Mediador Cultural. Sua grande paixão é viajar pelo mundo, colecionando novas histórias e aprendendo com cada lugar. Já visitou até então cerca de 60 países e, além da Alemanha, já viveu na Nova Zelândia, Malta e Camboja. Hoje conta suas aventuras na coluna Mundo Afora, aqui no Press Abroad. Fascinado por comunicação, ele domina com fluência o Alemão, Inglês, Italiano e Português e ainda desenrola no Russo, Francês e Espanhol.