O Press Abroad começa hoje uma série com três reportagens com jogadores de futebol do Brasil que atualmente atuam no exterior. Eles falam sobre suas experiências, a adaptação e as dificuldades de viver longe de casa. Hoje, você conhece um pouco mais sobre o meia Juliano.

JulianoTailandiaJuliano Mineiro, 28 anos, já passou por grandes clubes do futebol nacional, como Fluminense, Náutico, Paraná e jogou para equipes em Portugal, Arábia Saudita e Romênia. Atualmente, o meia do Chonburi FC, da Tailândia, tem o desafio de encarar uma nova cultura e mostrar seu talento ao mundo num ambiente bem diferente.

A Tailândia é um dos maiores destinos turísticos do mundo. Espremida entre outros países no sudeste asiático, não faltam lugares interessantes. Mas o que motivou Juliano a se mudar para lá não foram os encantos da cultura. “A maior motivação foi a estabilidade financeira. Estava no Paraná com salários atrasados e descobri que na Tailândia todos os times pagam em dia. E sendo um país barato de se viver, vi que valia a pena essa mudança”, conta o jogador.

As impressões e os desafios

A primeira semana foi cheia de receios. “Dá aquele medo de fazer alguma coisa absurda que possa ofendê-los”, lembra ele. Há pouco mais de um mês na Tailândia, Juliano diz que já está se sentindo em casa. “O pessoal do clube e da cidade me acolheram muito bem”.

Juliano_equipeConseguir falar o idioma tailandês é o mais difícil. Soma-se ao desafio as diferenças na culinária. “Tive que aprender rápido como se fala ‘sem pimenta’ em tailandês”, explica ele lembrando o quanto é difícil conseguir uma refeição sem o tempero.

O inglês, apesar de ser a segunda língua oficial do país, é pouco falado na região. No grupo de futebol a situação é diferente. Os colegas da equipe falam inglês, assim como a comissão técnica, que é do Japão.

O mais difícil de tudo isso, segundo Juliano, é ficar longe da família. “Acabei de ser pai e minha filha está muito pequena para vir. Não vejo ela há muito tempo. Essa é a pior parte da minha profissão. Só vou conseguir vê-la em novembro, quando o campeonato acaba”.

Foco

Morando por três anos em Portugal e um ano na Arábia Saudita, Juliano já sabe que para enfrentar a distância. Para ele, é preciso apostar no objetivo que se quer alcançar. “Quando estou jogando fora, eu me condiciono a pensar que é uma oportunidade de conhecer outra cultura, outras comidas, acrescentar algum conhecimento para a vida”, diz ele. Procurar ver o lado positivo das oportunidades é outra dica do jogador. “Isso, querendo ou não, é um privilégio. Mas claro que o Brasil com familiares e amigos sempre fará falta”.

 Julianojogando

  Crédito fotos: Divulgação/Chonburi FC


Marciéli Palhano
Jornalista brasileira, nômade por natureza. Adora conhecer pessoas, histórias e lugares diferentes. Se tiver comida boa, uma bela paisagem e gargalhadas, não precisa de mais nada. Diagnosticada com doença celíaca e intolerâncias alimentares, criou o projeto Zero Gluten & Lactose: www.zeroglutenlactose.com