A comemoração tem origem na Irlanda e Escócia e passou por algumas mudanças até chegar ao formato atual.

Comemorado no próximo dia 31 de outubro, o Halloween é conhecido amplamente graças, em parte, ao cinema hollywoodiano que contribuiu para a propagação da festividade. Quem nunca viu um filme com a temática abordada? A frase doces ou travessuras”, dita por muitos personagens de artistas consagrados, ficou famosa pelos quatro cantos do mundo.  Mas, você sabia que um dos símbolos da cultura norte-americana não tem origem nos EUA?

Na verdade, a festa foi criada, durante a Antiguidade Clássica, pelos celtas, na atual Irlanda e Escócia. A comemoração tinha o intuito de homenagear os espíritos de seus antepassados. Samhain, como era chamado, era realizado sempre no dia 31 de outubro, na véspera do ano novo deste povo.

halloween-irlanda-press-abroad
Foto: Ruas de Dublin na semana do Halloween

A celebração tinha um caráter sagrado e revelava um lado mais místico dessa população, já que nesta data, os druidas, feiticeiros celtas, aproveitavam a energia espiritualizada do culto à ancestralidade para realizar previsões sobre o novo ano, a vida amorosa das pessoas e a colheita do próximo solstício de verão.

As festas desse povo eram marcadas pelos inícios e términos dos solstícios (inverno e verão) e equinócios (outono e primavera). Por isso, o Samhain acontecia no fim do verão e do período de colheita e anunciava o início de um inverno intenso e a passagem do ano.

Com a difusão do cristianismo, os festivais que anunciavam a chegada das estações do ano foram considerados pagãos e suas práticas passaram por algumas mudanças. A tentativa de adequação dessas culturas transformou as celebrações em comemorações cristãs, como no caso do Samhain, que passou a ser festejado no dia 1º de setembro, como o dia de Todos os Santos.

Foi durante este período que surgiu o nome de origem Halloween para a festa. Derivado de um inglês antigo, inicialmente foi chamada de Hallows, que significa all saint’s day (Dia de Todos os Santos).

Alguns costumes da festa Samhain foram mantidos inicialmente, após a cristianização, como a celebração das colheitas e o vínculo com a espiritualidade.  Porém, a entrada do Halloween nos Estados Unidos, durante a colonização inglesa, contribuiu para a progressão das transformações até configurar o formato conhecido. Entre elas, o hábito das crianças irem às casas próximas em busca de guloseimas.

A tradição consistia em ir aos vizinhos cantando rimas ou dizendo orações para as almas dos mortos e em troca elas recebiam um bolo que representava a pessoa que havia sido liberada do purgatório. As comidas foram substituídas por doces e as fantasias, entre elas, as famosas bruxas, foram umas das atualizações da festa, que atingiu diversos lugares, após a globalização.

Imagem: Shutterstock

Leia também:


Joyce Lima
Jornalista e assessora de comunicação, a área cultural é a sua paixão e, por isso, sempre busca conhecer costumes e culturas de diferentes lugares. A história de cada país e região a encanta e ela procura dividir isso de maneira mais fidedigna com os leitores. Carioca da gema e sem amarras segue livre buscando conhecimentos por onde passa.