O Ministério da Cultura, em parceria com os ministérios das Relações Exteriores e da Educação lançou dois editais públicos para que profissionais de diversas áreas possam concorrer a 500 bolsas de estudo no exterior. O Governo Federal irá custear as passagens de ida e volta e as diárias. A soma das despesas com cada aluno poderá chegar a R$ 30 mil, para cursos de três meses, e o custo total do programa deverá ser de R$ 4 milhões, segundo o Ministério da Cultura. Caso seja aprovado, o candidato já poderá viajar a partir de novembro desse ano.

De acordo com a ministra da cultura, Marta Suplicy, não existe idade mínima e não há a necessidade de diploma para concorrer às vagas. O candidato deverá ter experiência prévia na área escolhida. Além de ter obtido pré-aprovação em uma das universidades credenciadas no programa.

“O pré-requisito é experiência na área, algumas áreas exigem diploma. O critério está na mão da universidade. Tem instituição que exige que saiba a língua e tem instituição que não exige”, explicou a ministra.

O programa oferece cursos e estágios no Instituto Europeu de Design (Itália e Espanha), Federculture da Itália, Universidade de Bolonha (Itália), British Council (Reino Unido), Royal Shakespeare Company (Reino Unido), Barbican Centre (Reino Unido), SouthBank Centre (Reino Unido), The Global Centre (Reino Unido), BBC Scottish Symponhy (Reino Unido),  Science Museum (Reino Unido) e o Festival de Edimburgo (Escócia).

Dentre as áreas contempladas pelo programa estão música, teatro, circo, artes visuais, cinema, animação, games, programação de softwares, literatura, TV, rádio, moda, design, arquitetura, publicidade, gastronomia, artesanato, turismo.

Para quem tiver interessado em se candidatar para cursos que comecem em dezembro, a inscrição deverá ser feita até o dia 1º de outubro. Para curso que iniciem entre os meses de janeiro e março, as inscrições irão até o dia 7 de novembro.

Após garantir a aprovação na instituição de ensino estrangeira, o candidato será submetido a uma banda, que será composta por representantes de secretarias ligadas ao Ministério da Cultura.

O programa também irá oferecer patrocínio a candidatos que pretendam participar de eventos culturais organizados fora do país. Serão três os oferecidos: a feira de música WOMEX 2014, em Santiago de Compostela, na Espanha, de 22 a 26 de outubro deste ano; o festival de artes cênicas Santiago a Mil, no Chile, de 3 a 18 de janeiro de 2015; e o ARCO Madrid, na Espanha, que vai de 25 de fevereiro a 1º de março do ano que vem.

Bônus pela Unidade Federativa

Com o intuito de “minimizar desigualdades e promover a descentralização das ações culturais”, projetos das regiões Norte, Nordeste, de alguns estados do Centro-Oeste e o Espírito Santo receberão uma pontuação extra, chamado de “Bônus pela Unidade Federativa”.

Esse bônus será de 2,5 pontos extras para os estados do Norte: Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Pará e Roraima; do Nordeste: Alagoas, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe; do Centro-Oeste, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além do Espírito Santo; 2 pontos para Ceará, Goiás e Pernambuco; 1,5 para Distrito Federal, Paraná e Santa Catarina; 1 ponto para Bahia, Minas Gerais e Rio Grande do Sul; e 0,5 para projetos dos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Contrapartida

O candidato aprovado assinará um compromisso para que, ao retornar ao País, compartilhe o que aprendeu no exterior. O Governo ainda não definiu como funcionará essa parte do programa, mas a ministra se mostrou otimista de que o direcionamento dos contemplados, após o retorno, será bem sucedido.

Serviço

Para se inscrever nos editais, os interessados podem acessar o site do programa. Qualquer duvida poderá ser esclarecida pelos e-mails [email protected] (para o intercâmbio) ou [email protected] (para os eventos).

Fonte: O Povo Online

Encontrou um erro? Quer sugerir uma pauta? Ajude-nos a melhorar nosso conteúdo. Envie um e-mail para: [email protected]