Já vimos vários comentários depreciativos sobre a Disney Paris, sobretudo o tamanho do parque, menor que o Magic Kingdom de Orlando. Mas como tamanho não é documento, atestamos que o Disneyland Paris é um parque muito bacana.

Ou então, Paris é uma cidade cheia de atrações e ir à Disney é perda de tempo. Discordamos completamente desta opinião, a não ser que sua estada na cidade seja de apenas dois ou très dias.  Em uma viagem de sete dias já é perfeitamente possível reservar um para este passeio e assim unir o útil ao agradável.

A anteriormente chamada Euro Disney hoje atende pelo nome de Disneyland Resort Paris e é integrada por dois diferentes parques: o Disneyland Paris (versão européia do parque californiano) e o Walt Disney Studios.

Situado a pouco mais de trinta quilômetros de Paris, a versão francesa da Disney apresenta a maior parte das principais atrações presentes nos parques norte-americanos e não deixa a desejar em relação a eles. Esteticamente muito bem feito, se diferencia de forma mais acentuada pelas versões em francês das atrações e narrações, embora o inglês também seja usado com frequência. As principais atrações estão lá, distribuídas entre os dois parques.

1 . Disneyland Paris:

FXQag31AE2iwQawbl-a9CJtI_

Este é o principal parque do complexo e corresponde à Disneyland da Califórnia (embora tenha diferenças). Ele tem por destaque o castelo da Bela Adormecida, em proporções um pouco maiores que a da versão californiana , e boa parte das atrações mais conhecidas: piratas do caribe, a mansão fantasma, star tours (simulador baseado na série cinematográfica star wars), a montanha russa space mountain 2 (em versão melhor que as norte-americanas, em nossa opinião).

Para crianças menores, destacam-se os brinquedos do Peter Pan e da Branca de Neve, a vila da Bela e da Fera, além da presença dos personagens da Disney.

2 – Walt Disney Studios:

spidey-wds

O parque representa, de certa maneira, uma versão um pouco diferente do Hollywood Studios de Orlando, mas mantém a mesma inspiração cinematográfica. Aqui encontramos também diversas atrações que fizeram a fama dos parques dos EUA: a montanha russa Rock’n’Roller Coaster (da banda Aerosmith), o elevador que despenca da atração Twilight Zone Tower of Terror, o passeio pelos estúdios, a atração com efeitos especiais do filme Armageddon.


Em geral:

Além de outras atrações, ambos os parques apresentam paradas e shows que são diferentes dos apresentados nos parques dos EUA. A única atração de que sentimos falta em relação aos parques norte-americanos foi o show Fantasmic presente na Califórnia e em Orlando, mas inexistente em Paris.

Destacamos também que, logo na entrada dos parques, existe uma área chamada Disney Village composta por lojas e restaurantes, semelhante ao Downtown Disney existente nos EUA.

O acesso é fácil e vamos à Disney Paris de metrô, carro, ônibus de turismo ou ônibus que saem direto do aeroporto. A melhor opção vai depender de suas condições.

A opção carro alugado é válida, as estradas são bem sinalizadas, basta sair do centro de Paris e seguir rumo à cidade de Marne-la-Vallée. Além do conforto e a garantia de viajar sentado,  o lado bom em escolher esta opção está na possibilidade de ir e voltar quando desejar e ficar até o fechamento do parque. O lado ruim pode ser o trânsito habitual de uma grande cidade, além da tensão de dirigir num local desconhecido cujas regras nem sempre são muito claras.  E, claro, o fato de que estacionar em Paris não é das tarefas mais fáceis.

Disneyland ParisOutra opção é o transporte público. Usar metrô em Paris é extremamente fácil e se aprende rápido pegar as linhas de conexão entre seu local de estadia e o local a visitar. Como a cidade é fartamente abastecida de linhas, é só pegar o metrô na estação mais próxima do seu hotel e ir para as estações  do RER (tal como a Gare de Lyon) de onde saem trens (RER A4) diretos até a estação Marne-la-Vallée em uma viagem de aproximadamente 45 minutos. A estação de desembarque é na portaria de acesso ao parque.

O lado bom em fazer esta escolha está na facilidade de acesso, segurança, preço bom – a passagem pode até estar inclusa nos passes de metro caso tenha optado por um – horários flexíveis e o último trem sai do parque às 23h. O lado ruim fica por conta do desconforto, pois em certos horários o trem é bem cheio, pode ser que tenha que fazer sua viagem em pé, cansativo após um dia inteiro de andança pelo parque. Ao optar por transporte público, fique atento apenas se na cidade não há um clima de greve, pois os metroviários são uns dos primeiros a aderirem.

Também existe a opção de ir de ônibus exclusivo de uma agência de turismo local. Esta opção costuma ser mais cara e limitada: os ônibus têm horários rígidos, saem pela manhã e voltam no início da noite. Os franceses são, como todo europeu, rigorosos com horários e não perdoam atrasos. Perdeu o horário, você arcará com todo prejuízo. O lado bom é que une o conforto de um carro com a tranqüilidade de não se preocupar com o caminho, o motorista te deixa no estacionamento do parque.  Boa opção para época de inverno intenso com estradas cobertas de neve. Boa solução se houver greve de transportes. O lado ruim, além do preço elevado, é o horário de retorno: mal dá tempo de ver a parada da tarde e perdemos as atrações da noite.

Existe ainda um serviço de ônibus da Disney que faz transporte direto do aeroporto até o parque. Nunca utilizamos esse serviço para poder dar uma opinião mais consistente. Mas ela pode ser útil para quem fica hospedado no complexo.

Aliás, falando em hospedagem, destacamos o Disneyland Hotel, hotel principal do complexo e situado dentro do parque. A entrada do complexo se confunde com a do hotel, muito bonito e integrado no visual.


Quais parques visitar?

Como são duas opções, o Disneyland Paris (do castelo) e o Walt Disney Studios (dos filmes), muitas pessoas não sabem o que escolher.

Caso tenha tempo em Paris para dedicar 2 dias inteiros aos parques, muito bem, vá em frente.

Caso seu tempo seja curto e seja primavera/verão com dias longos, dedique apenas 1 dia visitando os dois parques na seguinte seqüência: Walt Disney Studios pela manhã e Disneyland Paris à tarde/noite, pois os shows e paradas são melhores à noite.

No entanto, para poder utilizar essa estratégia, é necessário adquirir o ingresso que permita visitar os dois parques em um mesmo dia. Neste caso chegue bem cedo e compre os ingressos com antecedência.

Com a opção de dois-parques-dia, você pode trocar de parque quando quiser. A opção de condução via fretado de agência não é uma boa nesta situação. O fretado deixa o parque muito cedo e impede aproveitar os dois em um só dia.

Caso esteja na época de inverno – escurece cedo e o frio pode “pesar”- o melhor é optar por apenas um parque. Na nossa opinião, o mais emblemático é o Disneyland Paris, pois é o parque clássico: paradas, princesas, Mickey e Minnie, etc. Enfim, é o parque que concentra os principais ícones do universo Disney.


DESTAQUES

Porque ir: é uma ótima oportunidade de conciliar uma estada em Paris e uma atração para as crianças. Ou seja, pode-se reunir em uma única viagem os atrativos da Disney com toda a cultura e entretenimento de Paris.

Quando ir: A melhor época é o verão europeu, de junho a agosto, em que o sol se põe tarde e isso permite aproveitar muito os parques e  suas atrações. No inverno é mais complicado. Embora a decoração natalina do parque, que associada ao frio e eventualmente à neve, crie todo um clima propicio à época de festas, o frio é muito intenso e o dia dura pouco. Ou seja, não é a melhor época, embora tenha lá seu charme….

O ponto altoAs paradas, o castelo, o show noturno Disney Dreams e a montanha russa Space Moutain 2. Além do que, a Europa tem muito a ver com o clima de contos de fadas e princesas.

A roubada: As eventuais dificuldades de acesso ao parque em razão de greves no setor de transporte público.

Mais informações acesse o site da Disneyland Paris

Fonte: Conexão Paris

*Imagens Reprodução

Encontrou um erro? Quer sugerir uma pauta? Ajude-nos a melhorar nosso conteúdo. Envie um e-mail para [email protected]