A importância das frutas em qualquer idade não é questionável. Elas têm poucas calorias e dão o máximo em retorno. A maioria concentra cerca de 90% a 95% de água. São ricas em frutose, que pode ser transformada com facilidade em glicose – principal combustível do cérebro. Mas as opções de frutas com preços acessíveis varia bastante de acordo com cada país.

Durante o intercâmbio, sem a família por perto para fazer a feira da semana, as frutas muitas vezes são deixadas de lado. Em alguns países, os preços também assustam se comparados a dos lanches rápidos nas prateleiras dos supermercados. O Press Abroad lembra você que o consumo de frutas é importante sempre e que com um pouco de organização você pode fazer uma dieta rica e saudável sem gastar muito.

Imagem reprodução
Imagem reprodução

Abaixo, a lista mostra a orgiem das frutas, o que ajuda a entender porque às vezes é tão difícil encontrá-las em alguns países ou porque elas são tão baratas num determinado lugar e tão caras em outros:

1. abacate –  América Central.

2. abacaxi – Brasil – nativa do cerrado.

3. banana – Sudeste Asiático.

4. caqui – Ásia.

5. coco-da-baía – origem polêmica.

6. figo – Ásia.

7. goiaba – Brasil.

8. laranja – Ásia.

9. limão – Sudeste Asiático.

10. mamão – América Tropical.

11. manga – Ásia.

12. maracujá –Brasil.

13. marmelo – Europa e Ásia.

14. maça – Ásia.

15. melancia – África.

16. melão – Europa, Ásia e África.

17. pera –  Europa.

18. pêssego – Ásia.

19. tangerina – Ásia.

20. uva – Ásia, América do Norte e Europa.

frutas-press-abroad-culinaria (1)2
Imagem: Reprodução

A sugestão é buscar alternativas. O mamão, por exemplo, custa caro na Europa, mas pode ser substituído pelo melão.  Outra dica é buscar as feiras, que oferecem produtos com preço até 50% mais barato do que  o dos supermercados.

Europa consome menos que o ideal

A dica é não entrar no ritmo europeu. O consumo de frutas nesse continente ainda é considerado inferior ao ideal pela Organização Mundial da Saúde. A estimativa é de que mais de metade dos países da região europeia da OMS o consumo é inferior a 400 g por dia de fruta e legumes e num terço dos países a ingestão média é inferior a 300 g por dia.

A OMS recomenda a ingestão de pelo menos 400 g por dia de fruta (de três a cinco frutas) e legumes, sem contar com as batatas e outros tubérculos. Na Europa, as recomendações variam. Em alguns a recomendação é para quantidades ainda maiores, por exemplo, 600 g por dia na Dinamarca.

Com informações European Food International Council