Conheça o “mundo afora” de um viajante especial

Mundo a
Eduardo em Bali, Indonésia

Viajar o mundo é muito subjetivo e, até, comum. Já integrar-se no cotidiano do local, ter uma relação mais íntima com cada nuance do lugar é uma tarefa mais complicada. Aprender uma nova língua, adquirir um novo costume, e, sobretudo, uma nova visão de mundo são realidades para quem se aventura além do simples roteiro de viagem convencional. Você está pronto para sair de sua zona de conforto?

Foi assim que Eduardo Xerez decidiu viver experiências fora do seu país de origem. Antes de deixar o Brasil, estudou Artes Visuais, chegando a  ser premiado em uma bienal de artes em Fotografia. Partiu de sua terra para ter uma nova noção de mundo, com o anseio de conhecer a essência dos lugares, e não apenas superficialmente. Até o momento já conhece cerca de 60 países. Um verdadeiro amante do turismo e da cultura, Xerez tem interesse particular por novas línguas e aspectos culturais.

O inesperado é sempre bem-vindo e o estudante já conhece os mais diversos tipos de hospedagens; desde hotéis 5 estrelas em Londres a um quarto com baratas no fundo de um albergue em Caracas. Em constante locomoção, ele já foi, em expressão popular, “do luxo ao lixo”. Caronas em caminhões, viagens de bicicleta pelo Sudeste Asiático até voos de helicóptero de uma ilha a outra no Pacífico Sul.

Eduardo Xerez.01
Eduardo em São Petersburgo – Rússia

Eduardo já morou no Camboja, Ilha de Malta e Nova Zelândia. Hoje, sua base é na Alemanha, onde se graduou em História da Arte, e atualmente é mestrando em Ciências da Cultura. Depois de percorrer o globo em grandes aventuras, ele, que dedica parte de seu tempo à escrita, foi convidado a integrar a equipe do Press Abroad  com sua coluna “Mundo Afora”. Nela, haverão dicas sobre lugares de uma maneira especial, baseadas nas experiências e Xerez pelo mundo. Viagens, a vida no exterior, eventos internacionais, possíveis atividades extra-turísticas, entre outros. Fugindo de relatos entediantes sobre pontos turísticos, ele deseja escrever para um público mais antenado e interessado em uma perspectiva mais aberta de mundo.

Imagens: Eduardo Xerez