Choque cultural – aprenda a se adaptar às diferenças

Quase todo mundo que vive no exterior por um período longo sente um choque cultural. Este é um dos problemas mais comuns com estudantes de intercâmbio e expatriados. Porém, muitas pessoas que nunca passaram por esta experiência tem uma visão romântica da vida no exterior. Um questionamento muito comum é: “será que vale a pena todo este sacrifício?” Trabalhar em um subemprego, saudades da família e amigos, mudança radical de clima (muito frio), dividir moradia para reduzir custos etc. Este sentimento ganha maior ênfase quando alguma dificuldade ocorre durante a estadia no país estrangeiro, a primeira reação é a vontade de voltar para o seu país.

Mas o que é o choque cultural? Choque cultural não é apenas uma falta de adaptação,  falta de resiliência ou algum problema relacionado a personalidade, tampouco depende do nível de inteligência, educação, raça ou tipo de trabalho. A pessoa que sofre dos sintomas não é fraca ou incapaz. Ninguém está imune ao choque cultural, mesmo depois de várias experiências internacionais.

O choque cultural é resultado do estresse e sobrecarga, causado por vários incidentes, muitos são tão sutis que dificilmente notamos e muitos são tão significativos que nos sentimentos seriamente ameaçados.

mundooPara conseguirmos interagir no mundo dependemos de nossa habilidade de compreender centenas de sinais e responder de acordo com inúmeras regras explícitas e implícitas. Muitas tarefas que fazemos são automáticas e requerem pouco esforço. Quando vivemos no exterior ocorre o contrário. Simples tarefas se tornam mais difíceis pois tudo é diferente do que estamos acostumados, sentimentos falta da rotina e das coisas coisas mais simples. Tudo é feito de modo diferente, não conseguimos nos  comunicar o que queremos de forma efetiva e frequentemente sofremos de ansiedade porque não sabemos como nos comportar, ou nossas ações e palavras não recebem a resposta esperada e por outro lado não entendemos as mensagens que recebemos. Os sinais são diferentes do quais estamos acostumados. Nos confrontamos com novos valores, novos modos de pensar e fazer as coisas. Nosso senso comum ou lógica não se aplica na cultura local. Ansiedade se torna um estado permanente. É a sensação de estar passando por um exame 24 horas por dia.

Quais são as fases do choque cultural? O choque cultural ocorre aos poucos, é um acumulo de eventos, desde pequenos até grande conflitos culturais, que pode ser descrito como “um ciclo de reajustes a nova experiência de uma nova cultura”, que podemos dividir em quatro fases:

Fase 1: No início você experimenta um sentimento de euforia, “a fase do turista”: quando você tira várias fotos e está muito feliz com a mudança. Você nota algumas surpreendentes similaridades com seu país e as diferenças se tornam interessantes.

Fase 2: As poucos elementos da nova cultura começam a se tornar incômodos e já não são tão encantadores. Sua curiosidade vira irritação, impaciência, frustração, raiva e tristeza. Pequenos aborrecimento se tornam grandes frustrações. Você se sente emocionalmente e fisicamente esgotado. As diferenças ganham maiores proporções e assim como os julgamentos rigorosos e negativos da cultura local. Algumas pessoas desenvolvem obsessão por limpeza, comer e dormir  em excesso, receio de falar com alguém que seja de outra nacionalidade ou se tornam hostis e agressivos.

Fase 3: Se você não desiste da viagem e volta para casa durante a fase 2, eventualmente começa a a se adaptar e aprender com a mudança. Neste período, você começa a aceitar as peculiaridades locais, ou aceita seus sentimentos negativos e encontra novas formas de lidar melhor com a situação. A auto-confiança retorna; você se sente menos isolado e mais confortável.

Fase 4: Por fim você começa a se sentir em casa e aproveitará o que país tem para oferecer e a cultura local. O seu senso de humor volta, você faz novas amizades, tornando-se mais experiente,  conhece bem o local e pode dar conselhos ou dicas para os novatos. Felizmente, o choque cultural é previsível e passageiro. Se você estiver preparado, você pode controlar a situação.

Os sintomas do choque cultural

  • Tristeza/ depressão
  • Ansiedade
  • Irritação/ Stress
  • Conflitos de relacionamento
  • Sentimento de solidão e aborrecimento
  • Hostilidade com as pessoas nativas
  • Compulsão por comida e bebidas
  • Cansaço físico e mental
  • Propensão para ficar fisicamente doente
  • Diminuição na performance nos estudos e trabalho

 Como lidar com o choque cultural

 Após a experiência de viver no exterior as pessoas se sentem-se mais enriquecidas culturalmente e com horizontes expandidos. Entretanto, mudanças são sempre dificeis e há sempre o sentimento de perda. Desta forma, um preparo mental anterior e atitudes positivas são essenciais.

Algumas atitudes podem ajudá-lo a lidar melhor com o choque cultural:

  • Encontre um amigo que conheça bem a cultural local e que seja seu guia
  • Aprenda sobre as pessoas e o ambiente local
  • Evite pessoas que se queixam ou são negativas
  • Não critique as pessoas ou cultural local
  • Mantenha contato com pessoas nativas e com atividades culturais locais
  • Mantenha seu senso de humor!

Leia também:

Imagem reprodução

Por: Silvana Sapyras Byrne, Psicóloga Intercultural, registrada na Sociedade de Psicologia da Irlanda. Atendimento psicoterapeutico presencial em Dublin e por Skype para clientes residentes em outras localidades.  Mobile: 0863429003 ou Facebook.


Silvana Sapyras
Psicóloga Intercultural, Membro da Sociedade de Psicologia da Irlanda. Silvana também trabalha com atendimento psicoterapeutico presencial em Dublin e por Skype para clientes residentes em outras localidades. Sua pagina no facebook é: facebook.com/Intercultural.Psychotherapy