O Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural, do Ministério da Cultura, vai investir na formação, capacitação e interação de profissionais das áreas relacionadas e promover a divulgação dos projetos. O dinheiro disponibilizado deve ajudar a minimizar os gastos, as despesas com passagens, seguros de viagem, hospedagem e alimentação de quem busca especialização dou a divulgação da cultura brasileira ao mundo.

O recurso é do Fundo Nacional da Cultura (FNC) e vai beneficiar artistas, estudiosos da cultura, técnicos, agentes culturais, mestres e mestras dos saberes e fazeres populares, com residência permanente no Brasil. A ajuda busca facilitar a participação desses profissionais em eventos promovidos por instituições brasileiras ou estrangeiras.

O programa contempla “Difusão Cultural” e “Formação, Pesquisa E Capacitação” para artes visuais, circo, dança, teatro, música, audiovisual, memória, movimento social negro, patrimônio museológico e cultural, novas mídias, design, serviços criativos, humanidades, diversidade cultural e outras expressões culturais consideradas relevantes pelo Ministério da Cultura.

Entenda as divisões dos grupos

EIXO 1 – DIFUSÃO CULTURAL: Iniciativas que promovam a manifestação cultural por meio de práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas que resultam da criatividade de indivíduos ou grupos.

Segmentos atendidos:

a) Artistas, produtores, diretores, dramaturgos, compositores, roteiristas, técnicos, estudiosos e grupos artísticos que atuam nas áreas de circo, teatro, artes visuais, audiovisual, música, dança, literatura, performance e afins, incluindo exposições e exibições;

b) Indivíduos ou grupos que atuam em alguma destas áreas: culturas indígenas, culturas populares, movimento hip hop, capoeira, cultura dos povos ciganos, diversidade etária (infância, jovens e idosos), segmento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), comunidades quilombolas, comunidades ayahuasqueiras, ribeirinhas, trabalhadores rurais, agricultores tradicionais, agroextrativistas, pessoas com deficiência, diversidade de gênero, irmandades de negros, povos de terreiros e imigrantes; e

c) Indivíduos ou grupos que atuem em: Patrimônio Cultural e Natural (dentre eles o artesanato de tradição cultural); Artes de Espetáculo; Artes Visuais; Audiovisual e Mídias Interativas; Literatura e Mídias Impressas e Criações Funcionais (Produção cultural; Moda; Design gráfico; Design de interiores; Design de objetos; Arquitetura).

EIXO 2 – FORMAÇÃO, PESQUISA E CAPACITAÇÃO: iniciativas e ações que promovam a formação, capacitação, fortalecimento e desenvolvimento na área da cultura, promovendo a troca de conhecimentos e experiências entre grupos, entidades e profissionais da cultura; seja por meio de cursos, residências artísticas, seminários, debates, pesquisas, oficinas, palestras ou exposições de trabalhos, com duração de no máximo 12 (doze) meses, e que contribuam para a formação e/ou profissionalização de artistas, gestores e agentes culturais.

Segmentos atendidos:

a) Indivíduos ou grupos informais que pretendem se profissionalizar na área cultural. Sejam estes: artistas, produtores, diretores, dramaturgos, compositores, roteiristas, técnicos, estudiosos e grupos artísticos que atuam nas áreas de circo, teatro, artes visuais, audiovisual, música, dança, literatura, performance e afins, incluindo exposições e exibições;

b) Indivíduos ou grupos que atuam em alguma destas áreas: culturas indígenas, culturas populares, movimento hip hop, capoeira, cultura dos povos ciganos, diversidade etária (infância, jovens e idosos), segmento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), comunidades quilombolas, comunidades ayahuasqueiras, ribeirinhas, trabalhadores rurais, agricultores tradicionais, agroextrativistas, pessoas com deficiência, diversidade de gênero, irmandades de negros, povos de terreiros e imigrantes; e

c) Indivíduos ou grupos que atuem em: Patrimônio Cultural e Natural (dentre eles o artesanato de tradição cultural); Artes de Espetáculo; Artes Visuais; Audiovisual e Mídias Interativas; Literatura e Mídias Impressas e Criações Funcionais (Produção cultural; Moda; Design gráfico; Design de interiores; Design de objetos; Arquitetura).

A Comissão de Avaliação e Seleção do Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural será constituída por 9 (nove) representantes, titulares e suplentes, indicados por unidades do Ministério da Cultura e designados pelo Secretário de Fomento e Incentivo à Cultura por meio de publicação de Portaria no Diário Oficial da União.

As candidaturas serão avaliadas e pontuadas de acordo com os quesitos, observado o eixo escolhido. Os requerimentos recebem bonificação em sua pontuação de acordo com alguns critérios. Um deles leva em conta a unidade federativa de origem e candidaturas não originárias das capitais estaduais e de Brasília, ou cujas participações ocorram em eventos nacionais fora das referidas localidades.

Outro ponto beneficia requerimentos de povos e de comunidades tradicionais, incluindo, entre outros, povos indígenas, quilombolas, ciganos, povos de terreiro, irmandades de negros, agricultores tradicionais, pescadores artesanais, caiçaras, pantaneiros e ribeirinhos.

Também são bonificados os requerimentos de participação em acontecimentos nos países da América Latina, do Caribe e naqueles que fazem parte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Como participar

Os participantes devem ter uma das seguintes finalidades: Apresentação de trabalho próprio, inclusive quando em participação em evento de reconhecimento ao trabalho próprio desenvolvido (premiações e homenagens); residência artística; e cursos ou atividades de capacitação nas áreas da cultura.

As inscrições serão realizadas exclusivamente por meio do sistema SALIC, disponível no sítio eletrônico do Ministério da Cultura.