america_atl_05 (1)Diferente do que acontece com muitos jogadores de futebol no Brasil, que primeiro consolidam sua carreira no país e depois partem para o exterior, Guilherme Siqueira, 28 anos, começou cedo a jogar longe de casa. A oportunidade veio como um presente. “Todos os jogadores brasileiros possuem o sonho de um dia jogar na Europa e eu tive a felicidade de viver isso aos 16 anos. Não pensei duas vezes. Saí das categorias de base do Figueirense direto para o Inter de Milão, um dos maiores clubes do mundo”, lembra ele desse momento que foi tão importante para o que vive agora.

 A experiência profissional ganhou também aquela cara de intercâmbio. O começo foi de adaptação com tudo o que a Europa tem de diferente. “Sofri muito com o frio, com a solidão e com o idioma, mas sempre com a esperança de um dia me tornar um jogador profissional. Hoje, não me arrependo de nada do que passei lá atrás”, enfatiza Guilherme.

Foi na Itália que o lateral-esquerdo começou sua carreira internacional. Passou pelo Inter de Milão, Lazio, Udinese e Ancora. Depois foi para o Granada, na Espanha, o Benfica de Portugal e neste ano veste a camisa do Atlético de Madri. “A Espanha é um país muito parecido com o que estamos acostumados no Brasil. Um povo feliz, um país com boa gastronomia e uma cultura muito bacana. Muito parecido ao que eu tive em Portugal, no ano passado”, conta ele.

2014_07_21_w8Adaptação

Anos vivendo com outras culturas, Guilherme está mais flexível às mudanças e se adapta com certa facilidade. Dentro de campo, ele diz que a linguagem é a mesma em qualquer lugar e que o idioma só faz mesmo a diferença nas coisas de rotina. Quanto à saudade, garante encarar com naturalidade. “Já estou há 11 anos fora do país e não tenho mais esse problema. Sempre tem alguém por aqui comigo, tanto familiares quanto amigos. Claro que minha intenção é morar no Brasil assim que eu parar de jogar, mas a minha vontade é encerrar minha carreira por aqui”, revela. Para vencer esses desafios, ele foca: “costumo sempre pensar positivo e sei que se estou naquela partida é porque também estou à altura e fiz por merecer para estar ali”.

 Fotos: Atlético de Madrid/Divulgação


Marciéli Palhano
Jornalista brasileira, nômade por natureza. Adora conhecer pessoas, histórias e lugares diferentes. Se tiver comida boa, uma bela paisagem e gargalhadas, não precisa de mais nada. Diagnosticada com doença celíaca e intolerâncias alimentares, criou o projeto Zero Gluten & Lactose: www.zeroglutenlactose.com