O carnaval passou e pra muitos, o ano apenas começou. E você já se recuperou ou foi um feriado tranquilo? Bem, o meu foi badalado até demais. Seis dias, três cidades/estados diferentes. Uma maratona de folia! Deixa eu te contar essa saga.

Foto: Arquivo pessoal de Dado Xerez

Como quase todos os anos, Salvador foi a primeira opção que me veio à mente. Já posso me considerar um expert na Terra do Axé. No entanto, eu queria experienciar um outro carnaval. Cheguei a cogitar o Rio de Janeiro, mas a situação lamentável dessa cidade tão encantadora me deixou desestimulado. Eu não ‘tava na vibe de Recife/Olinda, mas quase fui parar lá. Foi quando Aracati deu um estalo na minha cabeça. Por que não conferir o maior carnaval do Ceará? O que eu não esperava é que sem querer eu ia por influência do destino conhecer o carnaval de Belo Horizonte. Já eu explico melhor como tudo aconteceu.

Vamos começar com Salvador. Você já passou carnaval por lá? Eu acredito que essa seja uma opção que todo mundo adora ou detesta. É muita energia envolvida em dois grandes circuitos e outros espaços como o Pelourinho. Dá pra celebrar em diferentes estilos. Se você não quer pagar preços, muitas vezes astronômicos, por abadás e camarotes, seguir um trio sem cordas pode ser uma boa alternativa. Inclusive grandes nomes como Daniela Mercury, Bell Marques e Cláudia Leitte levam esses trios, arrastando multidões na pipoca. Eu já segui alguns e não me arrependo. Igualmente já saí em bloco fechado, sendo esmagado o circuito quase completo! Ficar na volta do Farol da Barra e conferir a concentração dos blocos também é super tranquilo. Os camarotes garantem um certo conforto, melhor infraestrutura, segurança, e geralmente incluem bebidas à vontade. Principalmente o último quesito pode ser decisivo. Esse ano eu fui parar no camarote Premiere e fiquei satisfeito, mesmo sendo um dos simples. É que também existem abadás e camarotes com preços mais acessíveis. E se você tiver jogo de cintura, pode se dar bem comprando dos vendedores de rua. Os desfiles de blocos afros valem muito a pena!

Foto: Arquivo pessoal de Dado Xerez

E como fui parar em Belo Horizonte? No sábado decidi que duas noites em Salvador eram suficientes e optei por um vôo pra Fortaleza, com conexão em Recife. Confesso que cogitei ficar na capital pernambucana… De qualquer forma, eu não pude embarcar, porque o vôo estava lotado. Vi que tinha um pra Fortaleza com conexão em BH. Porém, a companhia aérea me informou que talvez eu não conseguisse embarcar de BH pra Fortaleza. E foi o que aconteceu! Mas em vez de pegar o próximo vôo horas mais tarde, pedi pra ficar até o outro dia. Belo Horizonte, aqui fui eu! Por sorte minha amiga Adriana, além de me hospedar espontaneamente, me apresentou alguns blocos, em especial o Angola Janga, no qual ela iria desfilar. Foi uma energia linda e bem diferente da experiência de carnaval que eu tinha até então. Sou feliz por ter vivido isso.

Foto: Arquivo pessoal de Dado Xerez

Ainda me restavam dois dias de carnaval e Aracati era meu último destino. No interior do Ceará, essa pequena cidade encanta com seu centro histórico, cujo conjunto arquitetônico foi tombado pelo IPHAN, e as praias da região como a famosa Canoa Quebrada. O programa oferece apresentações mais tradicionais como os desfiles do Carnaval Cultural, os shows durante o dia na praia de Majorlândia e os trios agitando a rua principal da cidade à noite. Quem pensa que o repertório só inclui estilos musicais regionais, está completamente enganado. Com atrações como Alok, Solange Almeida, Márcia Freire, MC Livinho, muitos outros e nada menos que o icônico É o Tchan, dá quase pra agradar a gregos e troianos. A diferança de Salvador é que em Aracati todos os blocos são sem cordas. Fiquei positivamente impressionado com a organização e a folia em si. Talvez um dia eu volte.

Foto: Arquivo pessoal de Dado Xerez

Balanço geral: Deixei-me levar pelos ritmos baianos no grandioso e consagrado carnaval de Salvador, conferi a folia de Belo Horizonte, que embora seja uma metrópole sem tradição carnavalesca, mostrou que os mineiros sabem se divertir, e percebi como uma pacata cidade de interior como Aracati se transforma em um turbilhão de emoções durante esse feriado.

Foto: Arquivo pessoal de Dado Xerez

E você? Já ‘tá planejando o carnaval de 2019? De repente a gente se esbarra por aí!

Me segue no Instagram e fica por dentro dessa e de várias outras aventuras!

Leia também:


Dado Xerez
Dado Xerez é mestrando, graduado em História da Arte e Ciências da Cultura pela Universidade de Leipzig, na Alemanha, onde trabalha como Mediador Cultural. Sua grande paixão é viajar pelo mundo, colecionando novas histórias e aprendendo com cada lugar. Já visitou até então mais de 70 países e, além da Alemanha, já viveu na Nova Zelândia, Malta e Camboja. Hoje conta suas aventuras na coluna Mundo Afora, aqui no Press Abroad. Fascinado por comunicação, ele domina com fluência o Alemão, Inglês, Italiano e Português e ainda desenrola no Russo, Francês e Espanhol.